Loading

Estudantes mostram habilidade científica antes mesmo de chegar à universidade

Fale com o PMP: redacao@portaldomovimentopopular.com.br

Grupo de alunos desenvolveram um carregador de celular que usa energia eólica (Foto: Winnetou Almeida)

Manaus/AM- Antes de ingressarem na universidade, alunos dos ensinos médio e técnico da Fundação Centro de Análise Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi) já desenvolvem projetos científicos, mostrando potencial ainda no ambiente escolar. Desenvolvendo aptidões ainda na escola, os jovens também se preparam para futuros desafios ao ingressarem nas universidades.  Os trabalhos de 1,2 mil alunos estão sendo expostos na 14ª Feira Tecnológica da Fucapi, na avenida Danilo Areosa, no Distrito Industrial de Manaus.

Para a diretora da instituição e coordenadora do evento, Neila Buzaglo, no ambiente escolar de ensino fundamental e médio os alunos têm mais oportunidade de colocar os conhecimentos na prática, desenvolvendo trabalhos que irão gerar algum tipo de benefício para a população sem tanta cobrança como no ensino superior. Dessa forma, a criatividade e habilidade dos jovens começam a ser incentivada antes do ingresso nas faculdades.

“Eles são trabalhados para que desenvolvam projetos e, na feira que surgiu há 14 anos, mostram esses projetos para a sociedade amazonense. Já aconteceu muitas vezes de empresários comprarem ou contratarem esses estudantes. Então, a gente percebe que é ainda na escola que esses jovens começam a dar os primeiros passos de uma carreira promissora”, disse.

Mercado inteligente

Com o objetivo de reduzir tempos nos supermercados e evitar assaltos, estudantes do segundo ano do ensino médio desenvolveram o sistema “Time”, que funciona como um mercado inteligente.

Na prática, os clientes utilizarão um cartão, no qual poderão depositar a quantia que pretendem utilizar nas compras. No mercado, os clientes precisarão apenas encostar o cartão em uma leitora para iniciar as compras e depois os itens desejados, que também são catalogados. Para finalizar a compra bastará validar encostando o cartão novamente e o valor dos produtos escolhidos é debitado automaticamente.

“O aplicativo funcionará em duas etapas, você faz a recarga e depois vai às compras. É simples, fácil de usar e você vai reduzir seu tempo no mercado e vamos reduzir, inclusive, o tempo de espera em filas e o tempo que se passa nos supermercados. A ideia é deixar tudo mais prático e seguro para todo mundo”, disse o estudante e integrante do projeto João Guilherme Chagas, de 16 anos.

Minegerador para recarga

 Já imaginou carregar o celular com energia eólica? Foi pensando em contribuir com o meio ambiente e oferecer uma alternativa com baixo investimento para ribeirinhos e pessoas que trabalham em barcos que estudantes do terceiro ano do ensino médio desenvolveram o “Five Volts”, uma espécie de “cata vento” que armazena energia em uma bateria, que poderá, por exemplo, carregar celulares em embarcações do Amazonas e em comunidades ribeirinhas. O preço do invento fica em torno de R$ 150 por unidade.
“Com o ‘Five Volts’, vamos reduzir custos e poluição com a energia convencional, além de termos a possibilidade de dar uma nova opção para as pessoas recarregarem seus celulares de forma mais sustentável, evitando gastos”, contou o estudante Felipe Souza Lopes, 17.

 

 

Acrítica / Redação PMP 

Categorias: CT&I

Palavras-chave: , ,