Loading

Últimos dias para ver a exposição ‘O Fantástico Corpo Humano’ em Manaus

Fale com PMP : redacao@portaldomovimentopopular.com.br

A exposição contabiliza mais de 20 milhões de visitantes e já passou por mais de 40 países – Fotos: Divulgação

Manaus/AM –  A exposição internacional “O Fantástico Corpo Humano”, que está acontecendo no Piso Castanheiras, do Manauara Shopping (Av. Mário Ypiranga Monteiro, 1300 – Adrianópolis) surpreendeu mais uma vez o público amazonense, apresentando nova estrutura órgãos e corpos reais. A mostra ficará em cartaz até o dia 06 de agosto e poderá ser conferida no valor promocional de R$15,00 (a partir de 29 de julho), de segunda a sábado, das 14h às 21h e aos domingos e feriados, das 13h às 20h.

O que nos faz soluçar? Por que espirramos? Qual é a função da placenta? Onde ficam os menores ossos do corpo? O que a cafeína e o refrigerante de cola fazem com a nossa bexiga? Por que arrepiamos? Muitas curiosidades sobre o funcionamento do nosso organismo estão sendo respondidas através de uma viagem completa pela anatomia humana, por meio de 12 corpos e 150 órgãos reais.

A exposição contabiliza mais de 20 milhões de visitantes e já passou por mais de 40 países como Alemanha, França, Portugal, Estados Unidos, Argentina e México; e já esteve nas principais capitais do Brasil como: Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Belém, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Florianópolis e está novamente em Manaus.

Quem ainda não teve a oportunidade de passear pelos corredores da exposição, pode aproveitar para conhecer em detalhes o corpo humano. A mostra permite aos visitantes entenderem mais sobre seus próprios corpos e ensina como cuidar da saúde e optar por estilos de vida mais saudáveis.

O “Fantástico Corpo Humano” leva a uma jornada fascinante através do bem mais precioso do ser humano: o próprio corpo. E a exposição é desenhada justamente para isso, pois sob a pele, uma série de sistemas intrigantes e órgãos trabalham segundo após segundo, para nos manterem vivos.

A exposição apresenta corpos que passaram por um complexo processo chamado plastinação, que envolve a retirada de toda a água e gordura do corpo, sendo substituídos por polímeros plásticos coloridos.

“A plastinação consiste primeiramente na dissecação dos corpos preservando órgãos e sistemas. Após isso, a peça é imersa na acetona, que tem a função de desidratar, ou seja, retirar toda a água do corpo. Após a desidratação, a peça é colocada em polímero de silicone que penetra em toda a área desidratada substituindo assim a acetona e é levada a uma câmara a vácuo. Depois, eles retiram todo o excesso do polímero e há a secagem. Quando o polímero de silicone endurece, e o espécime permanentemente preservado, com estrutura intacta, está pronto para ser exibido e estudado”, explica Suderlan Gomes, fisioterapeuta e produtor da mostra.

Dessa forma os corpos não possuem cheiro, não se decompõem e até retêm a maioria de suas propriedades originais. Por essa razão, as espécimes são consideradas perfeitas, e é possível ver características anatômicas com grandes detalhes, como por exemplo, a árvore respiratória do pulmão ou a enorme quantidade de vasos sanguíneos do corpo, assim como os músculos e os ossos.

Características da exposição

As galerias estão divididas pelos sistemas do corpo e por cores: esquelético, muscular, nervoso, respiratório, digestivo, cardiovascular, circulatório e reprodutivo, além de mostrar a vida fetal e a medicina moderna. Ao longo da exposição, os visitantes descobrem os detalhes do funcionamento dos órgãos. Monitores da área de saúde acompanham as visitas, usando a linguagem adequada para cada grau de escolaridade.

A exposição é um mergulho tridimensional para dentro desses sistemas. “Os corpos não estão protegidos por nada. Os visitantes podem observar todos os detalhes sem nenhuma vitrine, mas os órgãos estão todos dispostos em vitrine em razão da delicadeza e tamanho das peças. Vale lembrar que todas as peças são de corpos de verdade. Apenas os olhos são de acrílico”, diz Suderlan.

A exposição ainda ajuda a ver e compreender as doenças de maneira totalmente nova, pois enfatiza problemas de saúde como o câncer de mama, câncer de cólon, a cirrose hepática (do fígado), gravidez ectópica, artrite, osteoporose e fraturas ósseas. A mostra também ilustra danos ou lesões a órgãos, como os causados por tabagismo e obesidade.

Fonte : Em Tempo  / Redação PMP 

Categorias: Cultura

Palavras-chave: