Loading

Polícia de Orlando divulga imagens do massacre na boate Pulse

Fale com o PMP: redacao@portaldomovimentopopular.com.br

Momento em que a polícia chegou à boate Pulse, em 12 de junho de 2016 (Foto: Reprodução/Orlando Sentinel)

A polícia de Orlando, na Flórida (Estados Unidos), divulgou na quarta-feira (31) cerca de 15 horas de imagens inéditas gravadas pelas câmeras dos agentes que no dia 12 de junho de 2016, entraram na Boate Pulse, palco do pior massacre realizado por arma de fogo no país, e que deixou 49 mortos.

Segundo a agência Reuters, o material foi requisitado às autoridades e divulgado pelo jornal Orlando Sentinel. Os vídeos apresentam imagens fortes.

Cerca de 350 frequentadores participavam de uma festa de música latina no local, que é conhecido da comunidade gay da cidade, quando Omar Mateen, americano de origem afegã abriu fogo dentro da boate. Segundo testemunhas, não era a primeira vez que ele ia ao local. Os sobreviventes descreveram cenas de carnificina quando o atirador levou reféns para dentro de um banheiro.

Boate Pulse é conhecida pelas festas e por eventos de ativismo na causa LGBT (Foto: AP Photo/Phelan M. Ebenhack)Boate Pulse é conhecida pelas festas e por eventos de ativismo na causa LGBT (Foto: AP Photo/Phelan M. Ebenhack)

Boate Pulse é conhecida pelas festas e por eventos de ativismo na causa LGBT (Foto: AP Photo/Phelan M. Ebenhack)

Nas imagens gravadas por câmaras instaladas em seus uniformes, aparecem os agentes entrando no local e se ouve o tiroteio que culminou na morte de Mateen, que disse ter agido em nome do Estado Islâmico (EI).

Os vídeos mostram cenas de caos no interior da Pulse, no momento em que a polícia decide entrar no local por uma janela, para acabar com sequestro de dezenas de pessoas que já durava três horas.

Em um dos momentos, enquanto encurralava o terrorista, é possível ouvir um dos policiais dizendo: “Senhor Jesus, me proteja”, afirmou o jornal americano.

Em um dos trechos, pode ouvir um dos agentes falando com Mateen: “Mostre-me suas mãos agora. Saia com as mãos para o alto ou morrerá” e em seguida, o barulho de tiros.

Com Mateen encurralado em uma extremidade do local, vários agentes retiram os reféns. No vídeo, também é possível ouvir um dos oficiais alertando que pelo menos 20 feridos por arma de fogo estavam no local.

Homens se abraçam e dão as mãos emocionados durante vigília à luz de velas em memória às vítimas do atirador na boate gay Pulse, em Orlando, na Flórida (EUA) (Foto: Carlo Allegri/Reuters)Homens se abraçam e dão as mãos emocionados durante vigília à luz de velas em memória às vítimas do atirador na boate gay Pulse, em Orlando, na Flórida (EUA) (Foto: Carlo Allegri/Reuters)

Homens se abraçam e dão as mãos emocionados durante vigília à luz de velas em memória às vítimas do atirador na boate gay Pulse, em Orlando, na Flórida (EUA) (Foto: Carlo Allegri/Reuters)

As imagens também mostram o atendimento ao agente Michael Napolitano, que levou um tiro na cabeça, mas foi salvo porque a bala atingiu seu capacete, afirma a agência EFE.

O assassino, que estava armado com um fuzil de assalto e uma pistola automática, disse agir em nome do Estado Islâmico, grupo terrorista ao que jurou lealdade nas suas conversas telefônicas com os negociadores da polícia durante as três horas que permaneceu dentro do clube, mantendo cerca de 30 reféns.

No próximo dia 12 de junho, quando completará um ano do massacre, estão previstos vários atos em Orlando em memória das vítimas.

Omar Mateen, autor do massacre em boate gay em Orlando (Foto: MySpace/AP)

Omar Mateen, autor do massacre em boate gay em Orlando (Foto: MySpace/AP)

Fonte: G1

Categorias: Mundo

Palavras-chave: , ,